Produzir cerveja deixou de ser um hobby e virou profissão

As cervejas artesanais viraram moda nos últimos anos por serem diferenciadas e apresentarem sabores marcantes e acentuados. Na maioria das vezes, elas são feitas com os mesmos ingredientes que as grandes marcas utilizam. Sendo a diferenciação que as deixam “especiais”: o ponto de maturação de certos ingredientes e a própria fermentação.

O Brasil fabrica diversas cervejas artesanais, e em Juiz de Fora já se tornou referência. Vários são os bares que produzem tal produto. Apesar de ter ganhado força há pouco mais de cinco anos, a atividade cervejeira em Juiz de Fora remonta ao século XIX, com a instalação da primeira cervejaria de Minas Gerais no município. Atualmente, a cidade tem cinco cervejarias artesanais registradas e é a segunda de Minas Gerais com o maior número no setor, perdendo apenas para Belo Horizonte. Esse registro contribuiu para a criação de um roteiro das cervejarias, incluindo a elaboração de um guia para divulgar a história da atividade e as empresas aos moradores e turistas.

cerveja escorrendo2 - 2

(Foto: Andressa Costa)

Estima-se que a produção local seja de 350 mil litros por ano, conforme informações do Sebrae-MG. O crescimento do mercado consumidor tem motivado a expansão dos negócios. A produção de Juiz de Fora representa 35% do total da cerveja artesanal feita em Minas Gerais. O estado é destaque na fabricação da bebida e tem visto a demanda aumentar significativamente nos últimos anos. De acordo com a Associação dos Cervejeiros Artesanais do estado (Acerva Mineira), em 2012, as vendas cresceram 20% ante ao ano anterior.

Os fãs da cerveja artesanal não abrem mais mão dela. Como Saulo Rezende Monteiro, barman de 28 anos que experimentou há 2 anos e desde então não parou mais de beber. Disse que gosta das artesanais pela fabricação delas e que o sabor é bem diferente das cervejas comuns existentes no mercado. “Eu gosto de experimentar os diversos sabores, o que me atrai são os ingredientes diversificados”. Segundo Gabriel Borges, 29 anos, funcionário público, as cervejas artesanais “são uma opção às cervejas convencionais. Mais bem cuidadas, com produções restritas, com sabor diferenciado e único para um público que aprecia os ingredientes básicos da cerveja”. Ariane Dutra, advogada, 26 anos, diz que “todas são muito saborosas, mas a que mais aprecio é a Eisenbahn Weizenbock de origem alemã que possui sabor mais forte e coloração mais escura”.

Porém, a venda fora dos estabelecimentos onde as cervejas artesanais são produzidas ainda é escassa. De acordo com Yuri Rezende, estudante, 24 anos, os locais onde freqüenta com os amigos, não oferecem as cervejas artesanais.

Segundo o dono de uma pizzaria da cidade que produz cerveja e chopp artesanal, Hugo Siqueira, a ideia da cerveja surgiu após ter experimentado no Rio de Janeiro e ter gostado muito. “Eu comecei a querer fazer um curso e produzir minha própria cerveja com a finalidade de agregar valor à pizzaria”. “São 11 tipos de cerveja e 5 tipos de chopps, todos artesanais e todos fabricados no próprio estabelecimento. Com a expansão da cervejaria, de 6 mil litros fabricados hoje por mês, teremos uma estrutura para chegar próximo aos 100 mil litros.”

cerveja mr. tugas2 - 4

(Foto: Andressa Costa)

 

Andressa Costa

Anúncios